terça-feira, 20 de maio de 2008

Maria Rita... Brilhante, linda e cada vez mais boa cantora!

Pois é... Hoje vão aparecer aqui no blog, as minhas impressões sobre o show da Maria Rita, no dia 17/05/2008 aqui em Salvador no péssimo Cais Dourado. Eu tinha enormes expectativas em relação a esse local, pois ouvi falar que era lindo, que tinha uma bela vista para o mar (não sei de onde tiraram isso) e que seria um bom palco para o show da MR (pelo fato de que tinha tudo haver com o clima atual da carreira dela, que é de descontração e pura beleza). Mas, pra começar a falar daquele dia, eu tenho que dizer o que eu senti desde que eu entreguei meu ingresso, ele foi dividido em 2, fiquei com 20% do que ele era e andei pra ficar encostado na frente do palco.

A minha primeira reação foi olhar o cenário. Ele não parecia tão grandioso e completo quanto ao cenário que eu vi em fotos de outros shows em bons lugares que comportam grandes tournées. Daí começou a minha irritação, porque não e a primeira vez que colocam a Mª e a sua equipe em um local assim, no qual a equipe tem que podar as melhores coisas que existem no espetáculo para que ele seja encaixado no ambiente sem a menor infra-estrutura. A primeira vez que isso rolou aqui, foi na Área Verde do Othon, outra porcaria aqui em Salvador chamada de casa de shows, onde aconteceu um show da maravilhosa tournée Segundo: Ao Vivo em 20 de Novembro de 2005. Minha segunda reação, foi olhar o set-list (ele aparece abaixo na íntegra), que a primeira olhada me pareceu reduzido em pelo menos umas 3 músicas! Nisso tudo, fui ficando mais tenso, desestimulado e irritado ainda porque senti que o show ia ser curto. E a minha terceira, última e mais assustadora reação foi procurar onde seria o camarim... Como muitos de vocês já sabem, porque eu falei na comunidade, ele era um container com um banheiro químico ao lado. Agora, eu me perguntei o show todo e até hoje... Como é que uma equipe de produtores se propõe a chamar um artista do porte da Maria Rita para uma cidade que já não tem um bom espaço para shows e coloca esse bom artista dentro de uma caixa improvisada com um B-A-N-H-E-I-R-O Q-U-Í-M-I-C-O do lado?! Aí eu digo... É por isso que muitos artistas tiram Salvador da sua rota de tournées, sejam elas teatrais musicais ou de qualquer outro tipo! E isso se deve justamente pela falta de respeito e profissionalismo de muita gente nessa cidade. Eu sempre falo, vai fazer uma coisa, faça bem feita porra! Nada de armengue e porcaria pra atender algo ou alguém.

Não falo isso só porque foi a Maria Rita que estava naquele local e porque eu gosto dela não. Eu falo da questão de respeito ao artista mesmo, seja ele quem for e tenha ele a fama que tiver... Juro a vocês que eu me imaginei dentro daquele lugar e fiquei sentindo o quão constrangedor deve ter sido para a Rita ver aquilo. Por mais que dentro daquele retângulo estivesse tudo organizadíssimo, limpo e bem arrumado eu me senti envergonhado de ser soteropolitano naquela situação. Porque eu acho que esse lance de convidar um artista para uma cidade é a mesma coisa de quando convidamos pessoas que gostamos para a nossa casa; temos que fazer tudo bem bonito, organizado e com todo o conforto possível para que a aquela pessoa se sinta vontade e acima de tudo queira voltar até o lugar. Apesar de eu não ter me envolvido naquela organização e de não ter nada haver com o fiasco que foi a parte organizacional do evento, eu peço desculpas a Maria Rita e a toda a sua equipe, pela produtora Íris Produções terem levado vocês ao Cais Dourado e terem oferecido aquele local sem a mínima infra-estrutura para cenário e acústica. Que outra produtora traga vocês para o nosso tão querido TCA ou para a perfeita Concha Acústica... Porque são os ÚNICOS lugares que podem comportar bons shows aqui na cidade.

Mas, pulando essa parte chata do dia 17/05/2008 e falando do show em si, tudo estava na mais perfeita ordem de harmonia e beleza. Só tenho uma coisa a falar, quer dizer, gritar: QUE SHOW MEU DEEEEEUUUUSSSS!!!. Nunca tinha visto a Maria Rita tão leve, feliz, intensa e brilhando (não só no figurino, mas também no sorriso e na pessoa) como nesse dia! Isso me deu uma injeção de alegria e emoção enorme, que, só quem vê esse show é capaz de sentir toda a força que a Maria exerce em relação ao público e a cada um individualmente. O público cantou todas as músicas, dançou, assobiou (eu que o diga), interagiu e sentiu toda a malevolência e swing da estrela da noite e da sua banda. Eu estou muito empolgado para ver outra vez esse espetáculo e com muita vontade de sentir toda aquela energia outra vez. Só podemos parabenizar e ficar felizes com essa fase nova da Maria Rita, que mesmo que não esteja agradando a todos, é mais importante enxergar que está agradando a ela, e ela estando bem com ela mesma, toda essa onda de boas energias transparecem no palco e nas suas interpretações que soam mais verdadeiras e belas.

O show está super bem amarrado, o repertório está bem escolhido, os arranjos estão impecáveis e tudo está na mais perfeita ordem. Não vou mentir que eu sinto muita falta dos antigos (e eternos) membros da banda que estão em outros projetos... Acho que o show estaria bem mais completo com o Cuca, Thiago e Da Lua na banda junto com o Sylvinho, mas também acho que a cabeça tem que estar aberta para as mudanças, novas possibilidades e os olhos tem que estar ligados e preparados para enxergar e admirar também os talentos que acompanham a MR agora, porque a banda é boa também. Como é de se imaginar, não rolou o camarim... E lá se fui eu mais uma vez com a mochila que estava cheia com os meus CD’s e DVD’s pra casa sem autógrafos e a foto... Mas, hoje em dia eu enxergo tudo de uma forma diferente, camarim não é essencial, só é um complemento que deixa quem gosta do artista 110% feliz, porque 100% eu já fiquei com o show. O que importou mesmo pra mim foi a minha troca individual com ela, os olhares que cruzamos poucas vezes, as fotos lindas que eu tirei, as gargalhadas que ela deu por causa dos meus assobios e a cima de tudo as vezes que ela me fez fechar os olhos e sambar sem reclamar de cansaço ao som da sua voz e da harmonia da sua banda. Só quero que ela continue feliz, com mais sucesso e com essa sede de viajar e mostrar a sua arte para todo o Brasil. Estou emocionado, em transe e muito feliz de ter tido esses momentos espetaculares na noite que foi maravilhosa como Tá Perdoado já anunciava! Viva ao samba, viva a Maria Rita e viva a Música! 5 estrelas pra ela... Sempre!


Set-list do Show "Samba Meu" - Salvador (Cais Dourado - 17/05/2008):

1 - Samba Meu
2 - O Homem Falou
3 - Tá Perdoado
4 - Maria do Socorro

(FALA DA BANDA)

5 - Novo Amor
7 - O Que É O Amor?!
8 - Cria
9 - Recado
10 - Muito Pouco
11 - Pagu
12 - Encontros & Despedidas
13 - Caminho das Águas
14 - Santa Chuva (FOI RISCADA MINUTOS ANTES DO SHOW)
15 - A Festa

(TROCA DE ROUPA)

16 - Cara Valente
17 - Corpitcho
18 - Casa de Noca
19 - Num Corpo Só
20 - Maltratar, Não É Direito
21 - Conta Outra

(BIS)

22 - Tá Perdoado
23 - Num Corpo Só
24 - Cara Valente
25 - Não Deixe O Samba Morrer



Você pode conferir a primeira parte das fotos tiradas por mim, na minha página do flickr! Comentem lá também! E se quiser ver todas as 67 selecionadas por mim para matar a curiosidade vá até meu álbum no Picasa Web.

3 comentários:

Ígor Andrade disse...

Sua mensagem foi dada sim amigo.
Espero que você volte sempre e muito obrigado pelos comentários!
Paz amigo!
Abraço!

Ígor Andrade disse...

Fala Vinícius!
Que bom que se identificou com algo, e que bom que voltou.

A Maria Rita canta muito bem, mas não chega perto do que a mãe dela foi, e acho que nem vai chegar.

No mais... volte sempre amigo!
Abraço cara!

Lusi disse...

putz, ninguém superou a Elis ainda, pq essa cobrança com a pobre da MR? só pq é filha tem q ser igual ou melhor?